Quem tem a Deus, nada lhe falta.

É isso mesmo, Deus? Nada? Novamente?

Esta tem sido a pergunta que ecoa no meu coração há algum tempo; anos, talvez. Eu apenas nunca tinha refletido o suficiente para saber que estava sendo respondida esse tempo todo. Meus pedidos mais insistentes estão sendo respondidos por Ele – somente não da forma que eu esperava.

Houve uma época em que me sentia como a árvore descrita pelo salmista: cheia de vida, plantada junto às águas, farta de frutos e  folhas que nunca murcham. Esta estação passou e a árvore simplesmente não aguentou o rigoroso inverso que veio sobre ela; ainda mais porque o braço do rio mudou de curso e não passa mais por perto dela. Suas raízes não alcançam o nível freático como antes, as folhas se foram e os frutos foram retirados…

E ela está morrendo. O inverno tem sido muito longo e cruel; talvez ele nunca passe. O interior que sempre fora cheio de energia, calor e espanto; agora não passa de uma réplica do exterior. Escuro. Frio. Lugar de desespero, silencioso tormento.

E esta é a resposta dEle aos meus insistentes pedidos.

Não, esse ambiente aterrorizador não é a divina vingança pelos meus pecados, constantes erros e/ou desvios do Caminho.

Não, também não é porque Ele simplesmente desistiu. Você sabe que isto é contrário à essência do seu Pai.

Pense bem no que você suplicava ao Rei do Universo: 1. Ser como o vento, brisa soprada pelo Eterno para onde quer que Ele assim desejasse. 2. Enxergar a Deus. 3. Enxergar a dor do próximo. 4. Encontrar seu destino.

Aí está sua resposta. Lembra do que leu de William Tyndale há alguns meses?

Se Deus promete riquezas, o caminho para ela é a pobreza. Quem ele ama, ele disciplina; quem ele exalta, ele desencoraja; quem ele salva, primeiro, ele amaldiçoa; ele não leva nenhum homem para o céu a não ser que, antes, leve-o para o inferno. Se ele promete vida, ele o mata primeiro; quando ele edifica, primeiro derruba tudo. Ele não é de remendar, não pode edificar sobre a fundação de outro homem. Ele não começa a operar até que tudo fique irremediável e chegue a tal ponto que todos possam ver que sua mão, seu poder, sua misericórdia, sua bondade e verdade operaram tudo juntos. Ele não deixará que nenhum homem divida com ele seu louvor e sua glória.”

Ele é o Único que permanece. Todo o resto tem que desaparecer da vista e do coração para então serem criadas novas fortalezas, projetos e sonhos. A escuridão tem que ser total e palpável antes do dia nascer e o Sol iluminar tudo aquilo que antes era treva e dor.

Lembre-se que tudo passa. A primavera e as chuvas voltarão, os frutos brotarão mais belos que nunca e sua folhagem será verdejante.

Nada te turbe
Pois tudo passa
A paciência
Tudo alcança
Nada te espante

Quem tem a Deus
Quem tem a Deus,
Nada lhe falta,
Nada lhe falta,
Só Deus é o bastante.

Baseado em um poema de Tereza D’Ávila, música de Jorge Camargo (infelizmente não encontrei link no youtube).

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s